quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Cuba: a escola de todos os mundos

EICTV é referência mundial em formação de cineastas

Por Amanda Cotrim, especial para Caros Amigos

Estudar na Escola Internacional de Cinema e TV de Cuba, que fica em Santo Antônio de los Baños, a uma hora de Havana, em Cuba é, antes de tudo, experimentar um intercâmbio mundial, uma vez que a escola é o ponto de chegada de pessoas do mundo inteiro, que procuram Cuba por sua credibilidade e referência no ensino da sétima arte.

A atmosfera do cinema é tomada por cada metro quadrado da escola, que por ser afastada do grande centro de Havana, torna-se uma ilha dentro de outra. Na Escola de Todos os Mundos se respira cinema diariamente. O dia começa cedo; as aulas se iniciam às 9h, por isso, é preciso tomar o café da manhã reforçado oferecido no refeitório, para mergulhar na primeira etapa do dia. Além do contato com pessoas dos quatro cantos do planeta, quem estudar na Escola de Cine terá a companhia diária dos cachorros, que livres, convivem com tudo que ela oferece. Já são parte do todo.

Estrutura

A Escola de Cinema de Cuba lembra muito qualquer grande universidade pública no Brasil (USP e Unicamp, para citar como exemplos): tem moradia estudantil, o "bandeijão" (refeitório), a cantina, a biblioteca e a cinemateca, as salas de aula, o cine Glauber Rocha e uma piscina olímpica que deve lotar no verão caribenho. A área da Escola é coberta por uma vista verde, das plantações orgânicas cultivadas pelos funcionários, e azul, do céu que parece estar próximo dos nossos dedos. É preciso que se ressalte, no entanto, que os alojamentos estudantis dão de 10 a zero nas moradias das universidades públicas brasileiras. A infra-estrutura que a Escola oferece transforma qualquer arte mais insegura num bálsamo de ideias.

Além dos cursos regulares, a Escola oferece cursos livres, que acontecem todos os meses do ano. Os valores deles variam de 1.000 a 3.000 euros, aproximadamente, com direito a três refeições diárias, alojamento, ambulatório, ônibus escolar (que você poderá usar para visitar Havana, principalmente nos finais de semana), entre outros. É recomendado levar um pen drive ou até mesmo um HD externo e "fazer a festa" na cinemateca da Escola.

Liberdade Criativa

No entanto, a bolha cinematográfica precisa ser rompida. A Escola potencializa qualquer criatividade mais tímida; os professores são surpreendentemente libertários. O brasileiro passa vergonha perto de um cubano; somos muito mais moralistas. No entanto, a Escola também pode atrofiar sua sensibilidade. Afinal, o mundo é a inspiração do artista; chega um momento que, mesmo com todo aparato oferecido, ela não suporta a abstinência criativa, que a própria escola pode provocar. Por isso, visite Havana, viaje para outras províncias, conheça Santo Antonio de Los Baños. Experimente.

Contudo, se permitir estudar ou até mesmo conhecer a Escola de Todos os Mundos será uma das melhores decisões criativasCuba-Escola-de-cinema-tp que você fará. Cuba é acolhedora; a Escola de Cinema é um mundo paralelo, onde a fantasia tem vez.

Um brinde à liberdade artística. Como os cubanos gostam de dizer “Um povo culto é um povo livre”.

O Brasileiro que tiver interesse pode procurar o representante da escola, no Brasil: http://www.cuba-cursos.org/ . Mais informações: http://www.eictv.org .

Abaixo, um documentário feito pelos alunos do curso de Roteiro Cinematográfico, do qual eu participei, ministrado pelo roteirista Eliseo Altunaga, em fevereiro de 2012. Recentemente, a Ancine divulgou uma lista sobre os médias metragens produzidos em 2012 e o documentário “Memória de la preciosidad” esteve na lista.

Captação de imagem e edição: Valério Fonseca. 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário