sábado, 20 de novembro de 2021

Assista: Cubanos passaram fome durante a quarentena da Covid-19?

Estudantes cubanos | Foto: Gerardo Nordelo

Por Sturt Silva 

No vídeo abaixo, realizado nas ruas da ilha socialista, cubanas e cubanos falam se passaram fome ou qual quer necessidade do tipo durante a pandemia da Covid-19. 

Segundo o "Pensar História", mesmo sentindo os efeitos devastadores do bloqueio comercial mantido pelos EUA há 60 anos — que já causou prejuízos de mais de 750 bilhões de dólares à sua economia — e apesar de todas as limitações advindas de suas condições geográficas, Cuba segue possuindo a menor taxa de subnutrição do continente. Os indicadores sociais como mortalidade infantil e expectativa de vida também são superiores aos de muitas nações desenvolvidas, incluindo os Estados Unidos.

Em 2020 o PIB cubano caiu 11%. O turismo, principal atividade comercial do país, foi paralisado em quase 90%. Para piorar a situação, desde 2016, a ilha socialista foi alvo de uma nova série de sanções dos EUA - que não foram suspensas durante a pandemia - dificultando assim acesso a matérias primas, máquinas e outros produtos básicos. Tal contexto levou Cuba a enfrentar uma escassez de comida e eletricidade, mas o governo cubano conseguiu garantir que seus cidadãos tivessem o básico para enfrentar tal situação. 

Se não bastasse, Cuba ainda produziu 3 vacinas próprias contra Covid-19: Abdala, Soberana 2 e Soberana Plus. Atualmente 80% dos cubanos, incluindo crianças, estão vacinados com 3 doses.

 Assista:

quinta-feira, 30 de setembro de 2021

1º da América Latina: Cuba vacina mais 80% da sua população com 1 dose contra Covid-19

Mais de metade da população cubana está vacinada com 3 doses | Foto: Saúde Cuba

Por Michele Melo no Brasil de Fato 

Cuba anunciou que vacinou 80% da sua população com ao menos uma dose de seus três imunizantes próprios: a Soberana 02, Soberana Plus e a Abddala, tornando-se o primeiro país da América Latina a atingir a meta. Desde o início da emergência sanitária global, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que ao menos 70% da população de cada país deveria ser vacinada para obter a chamada "imunidade de rebanho", o que permitiria o fim da quarentena. 

O Estado cubano aplicou uma média de 200 mil vacinas por dia. O objetivo é vacinar toda a população até o final do ano, mas a reabertura das fronteiras deve começar a partir de novembro. De acordo com o Ministério de Saúde Pública, 64,3% da população recebeu a segunda dose e 51,3%, equivalente 5,1 milhões de pessoas, completaram o esquema de imunização.

Os dados podem ser conferidos no agregador de estatísticas Our World in Data, da Universidade de Oxford.

Já em outubro a ilha caribenha retomará aulas presenciais em todo o sistema público de educação. Nos últimos 20 dias, 1,6 milhão de crianças foram vacinadas, sendo que 900 mil têm idade de 2 a 11 anos.

"Nossa estratégia tem três princípios: vacinação universal, escalonada e intensiva. Pudemos implementar essa estratégia porque Cuba conta com suas fortalezas: o sistema de saúde e grande indústria farmacêutica", declarou a diretora de ciência e inovação do Ministério de Saúde Pública de Cuba, Ileana Morales. 

Todas as fórmulas cubanas passaram por testes clínicos dentro e fora do país até ter seu uso emergencial aprovado pelo Centro para Controle Estatal de Medicamentos, Equipamentos e Dispositivos Médicos (Cecmed).

"Nós temos um compromisso com o povo cubano e o que dissemos estamos conquistando", afirmou a diretora de ciência e inovação do Ministério de Saúde Pública de Cuba, Ileana Morales. 

Desde o início da pandemia, Cuba acumula 872 mil contaminados e 7.378 falecidos pela covid-19.

Edição: Thales Schmidt.

sexta-feira, 24 de setembro de 2021

Paulo Freire foi um admirador da Revolução Cubana

Grafites de Paulo Freire | Arte: Cezar Xavier/Vermelho 

Por Pedro Monzón

Paulo Freire foi um admirador da Revolução Cubana desde o seu triunfo; ele viu isso como uma esperança. Junto com a Revolução e graças a ela teve acesso à obra de José Martí, o apóstolo, herói da independência cubana, jornalista, pedagogo, poeta e um orador com profundo senso de ética; um homem que marcou para sempre o pensamento e a ação dos cubanos, em todos os campos, e dos dirigentes de todos os movimentos revolucionários em Cuba, especialmente Fidel Castro.

Freire viu a Revolução como uma tábua de salvação em que a justiça social, a independência e a solidariedade internacional eram pilares fundamentais. Ele declarou sentir admiração por Che e Fidel, porque ambos compartilhavam um pensamento e ação política autenticamente humanista, e eram seguidores de Marti. Ele os definiu como pedagogos da Revolução.

De Che disse: “… isso me tocou e continua a me tocar por uma série de qualidades humanas e intelectuais. Como um homem que lutou, um homem que se expôs…. Um homem que continua a testemunhar uma coragem mansa, uma coragem digna. E como um homem que também pensou, e colocou no papel de uma forma muito convincente e bonita as reflexões que fez sobre a prática ”.

De Fidel observou, por ocasião de sua visita a Cuba, no momento em que o dirigente cubano proferiu um discurso relacionado à etapa que conhecemos como “retificação de erros e tendências negativas”: “Senti uma grande emoção ontem quando eu ouviu Fidel, que falava como político e como pedagogo. Seu discurso foi repleto de pedagogia, esperança, realidade. Acho que vim em boa hora, embora me pergunte qual é a hora errada para vir a Cuba? Esse momento não existe ”.

E continuou: “… percebi ontem no discurso de Fidel toda a questão da retificação. Acho que a questão da dimensão da humildade, que eu acho que uma revolução deve ter, é extraordinariamente importante. No momento em que uma revolução não reconhece os prováveis ​​erros cometidos, essa revolução se perde, porque se pensa que foi feita pelos santos. Precisamente porque são feitas por homens e mulheres, e não por anjos, as revoluções cometem erros. Na minha opinião, o fundamental é reconhecer os erros prováveis ​​e retificá-los”. 

“Para mim, o impulso para a retificação é o teste de vitalidade”. Essas posturas de Fidel que Freire destacou ainda são válidas hoje.

Freire estudou, com grande interesse, a Cartilha Cubana utilizada na alfabetização, processo fundamental que rompeu, no importante campo da educação, com as misérias sociais que o hegemonismo dos Estados Unidos alimentou. Isso acontecia justamente no momento em que o pedagogo brasileiro buscava algo diferente das cartilhas tradicionais. Uma cartilha que sensibilizaria as massas e que, como em Cuba, constituiria um componente de projetos e ações em torno de uma educação política de essência anticolonialista, anticapitalista e anti-imperialista. Freire ficou muito impressionado com a façanha cubana de acabar com o analfabetismo em Cuba em apenas um ano, sobre a qual comentou: “... para mim, a Campanha de Alfabetização cubana, seguida anos depois pela da Nicarágua, constitui um dos fatos mais importantes da história de educação neste século".

domingo, 12 de setembro de 2021

Cuba: o primeiro país do mundo a vacinar crianças menores de 12 anos

Garota sendo vacinada em Cuba | Foto: Assembleia de Cienfuegos 

Por Michele de Mello no Brasil de Fato 

Cuba iniciou a vacinação contra covid-19 em crianças de 2 a 18 anos com as fórmulas Soberana 02, Soberana Plus e Abdala, todas as três produções cubanas. 

A campanha será realizada em etapas de acordo com o ano escolar para viabilizar a volta às aulas presencial em um mês, mas nesta primeira semana todas as crianças e adolescentes do país receberão uma dose do imunizante. 

Os primeiros serão os estudantes de 16 a 17 anos, para retomar as aulas presenciais no dia 4 de outubro. Em seguida, os alunos de 12 a 18 anos para iniciar aulas até o dia 8 de novembro. Já as crianças de educação primária também devem iniciar a vacinação neste mês para poder retornar à escola a partir de 15 de novembro.

Os ciclos de vacinação com a Abdala duram 28 dias e incluem três doses, já para quem recebe a Soberana 02 são aplicadas duas doses, com um reforço da Soberana Plus, num intervalo de 56 dias. 

Ambas fórmulas cubanas possuem mais de 91% de eficácia comprovada contra o novo coronavírus. 
 
Cuba é o único país da América Latina a desenvolver cinco vacinas próprias contra o vírus Sars-Cov2. 

Até o dia 10 de setembro haviam sido aplicadas 16,1 milhões de doses, com 4,2 milhões de cubanos com o ciclo completo de imunização.

Os testes clínicos pediátricos foram realizados durante o mês de junho com 350 voluntários entre crianças e adolescentes.

"Os resultados obtidos entre a população pediátrica foram superiores em todas as variantes imunológicas em comparação à população adulta de 19 a 80 anos", detalhou em comunicado o Centro de Controle Estatal de Medicamentos, Equipamentos e Dispositivos Médicos (CEDMED). 

O objetivo do governo cubano é imunizar toda a população a ilha até o final de 2021 e poder oferecer vacinas aos turistas. A partir de novembro, quando esperam ter 80% da população vacinada, a abertura de fronteiras começará de maneira gradual.

Edição: Sturt Silva. 

segunda-feira, 6 de setembro de 2021

Brasileira que mora em Cuba lança podcast sobre o país socialista

Episódio 1: Cuba à vista | Foto: Direto de Cuba

Por Sturt Silva 

Marcia Choueri, brasileira residente em Cuba, acaba de lançar o podcast Coisas de Cuba. 

Ouça o primeiro episódio:


Ela também mantém um canal no You Tube chamando Direto de Cuba, onde analisa fatos cotidianos sobre a ilha socialista. 

quarta-feira, 1 de setembro de 2021

Assista: "Fui pra Cuba e conto como é"

Jornalista na Praça da Revolução, em Havana | Foto: Solidários a Cuba

Por Sturt Silva 

Entrevista com o jornalista Ramon de Castro, autor de "Fui pra Cuba e conto como é", livro recém-lançado sobre a ilha socialista. 

Além de falar sobre o livro, Ramon também abordou outros temas atuais da realidade cubana. 

Assista:

sábado, 28 de agosto de 2021

Notícia falsa em Cuba agora é crime

Cuba aprova lei contra crimes cibernéticos | Foto: Yamil Lage / AFP
Por Maria Lívia 

A recente aprovação do Decreto nº35 e a regulamentação das telecomunicações e crimes cibernéticos na ilha cubana como primeira lei aprovada que visa combater infrações ocorridas na internet, e que assim reconhece prejuízos sociais e éticos de agressões ocorridas neste ambiente, tem, sido objeto de calorosas discussões nas redes sociais e em outras plataformas digitais, sendo inclusive denominada como "lei da mordaça".

A referida lei tipifica a propagação de fake news com o objetivo de sublevar a ordem constitucional como uma infração e almeja proporcionar "uma internet ética e boa para a população". Sendo assim, é estabelecido no decorrer do texto os direitos e também os deveres, e isso inclui que os serviços públicos de radiofusão e internet sejam acessíveis de forma equitária.
Os 129 artigos da lei determinam 17 infrações que são categorizadas como infração média a muito alta, como por exemplo o ciberterrorismo. 

A partir do Decreto nº35 foi gerado o Escritório de Segurança de Redes Informáticas (OSRI, na sigla em espanhol) a fim de receber denúncias. 

Médica brasileira: o Brasil deveria virar uma Cuba!

Médica brasileira formada em Cuba, Camila Negreiros | Arte: Podcast UFOB/Café Elétrico

Por Surt Silva 

Um papo sobre Cuba e sua medicina com Camila Negreiros, escritora, cantora e médica brasileira formada em Cuba.

Negreiros já trabalhou na Venezuela e Espanha e atualmente é médica da família em São Paulo. Além de ser especialista em psiquiatria e autora do livro “Nascida no Brasil: Pero hija de Cuba”. 

Clique abaixo e ouça o relato sobre Cuba a partir da percepção dessa brasileira que morou 6 anos na ilha e escreveu um livro contando essa história. 

E no final responde a pergunta: O Brasil pode virar uma Cuba?

---