sábado, 11 de junho de 2011

Ano Internacional dos Afrodescendentes é comemorado, em Cuba, durante seminário sobre equidade racial nas Américas

Evento vai reunir grandes nomes da diáspora africana nas Américas, como o ator americano Danny Glover. ONU Mulheres vai apresentar iniciativas como produção e análise de dados desagregados de gênero e raça, incidência em políticas públicas e visibilidade positiva das mulheres negras.
Fonte: ONU


Brasília – Discutir a importância de mulheres e homens afrodescendentes para a cultura e a história de Cuba é a proposta do seminário “Cuba e os povos Afrodescendentes na América”, que acontece entre os dias 13 e 17 de junho, em La Havana, capital cubana. O evento é organizado pelo Instituto Cubano de Investigação Cultural Juan Marinello em comemoração ao Ano Internacional das e dos Afrodescendentes. A data foi instituída pelas Nações Unidas, em 2009, durante a Assembleia Geral da ONU.

A cerimônia de abertura acontecerá nesta segunda-feira (13/6), das 9h30 às 10h30, e contará com as presenças da coordenadora-residente do Sistema das Nações Unidas em Cuba, Barbara Pesce-Monteiro, e do diretor geral do Instituto Juan Marinello, Fernando Martinez Heredia. Em seguida, Ana Carolina Querino, coordenadora de Direitos Econômicos da ONU Mulheres Brasil e Cone Sul, participará do primeiro painel do dia. Na mesa serão apresentadas as ações das agências das Nações Unidas em relação ao enfrentamento do racismo e superação das desigualdades raciais.


Na ocasião, Ana Querino contará a experiência do Programa Regional de Incorporação das Dimensões de Gênero, Raça e Etnia nos Programas de Combate à Pobreza no Brasil, Bolívia, Guatemala e Paraguai para o enfrentamento das discriminações contra as mulheres negras e indígenas da região. Ela também vai distribuir os materiais produzidos pela ONU Mulheres para dar visibilidade à liderança das mulheres latino-americanas para a conquista de direitos, como registrado nos documentários “Mulheres no Cone Sul”, “As Américas têm cor: Afrodescendentes nos Censos do Século XXI” e “A situação das Mulheres Afrodescendentes”, e também a agenda Mulheres Afrodescendentes, produzida para celebrar o Ano Internacional das e dos Afrodescendentes.

Na terça-feira, 14/6, sob a moderação de Gisela Arandia, os especialistas James Early (Estados Unidos), Jesús Garcia (Venezuela), Romero Rodríguez (Uruguai), Roberto Zurbano (Cuba) e Mariela Castro (Cuba) vão avaliar os mecanismos regionais para o combate às desigualdades raciais no painel “Oportunidades, dificuldades e estratégias para consolidar um acordo regional para alcançar a equidade racial dos povos afrodescendentes”.

No dia 15/6, quarta-feira, Ana Carolina Querino, participará da mesa “Processos de criação de conhecimento na desconstrução do modelo pós-colonial para assumir a discriminação racial: educação e sociedade”. Ana Carolina vai utilizar as experiências das publicações Dossiê Mulheres Negras e Retratos das Desigualdades de Gênero e Raça para abordar a importância dos dados desagregados para o retrato fiel das realidades das populações negra e indígena na América Latina e Caribe. Também participarão das discussões Tomas Fernandez Robaina, Lídia Turner e Rodrigo Espina.

No dia 16/6, quinta-feira, o ator norte-americano Danny Glover e os especialistas em mídia Rafael Acosta de Arriba, Lizette Vila, Mário Mas Vidal, Isabel Moya, Rigoberto Lópés e Yolanda Wood participarão da mesa “O papel das identidades culturais nos meios massivos de comunicação e seu impacto na criação de um novo paradigma cultural de equidade racial”. As discussões se encerrarão na sexta-feira, 17/6, com o painel “Conceitos e reflexões sobre a epistemologia do racismo”.

Seminário “Cuba e os povos afrodescendentes na América”
Data: 13 a 17 de junho de 2011
Local: Instituto Cubano de Investigación Cultural Juan Marinello (Ave. Boyeros Nº 63 e/ Bruzón y Lugareño) – La Habana/Cuba
Mais informações: comunicacion@cubarte.cult.cu

Nenhum comentário:

Postar um comentário