quarta-feira, 6 de abril de 2011

EUA: subversão contra Cuba no âmbito universitário

Fonte: Prensa Latina

Os interesses da Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos contra Cuba se focam no âmbito universitário, denunciou o capítulo "Fabricando um líder", da série de denúncia "As Razões de Cuba", transmitido pela televisão.

O depoimento de Raúl Capote, agente Daniel da Segurança do Estado cubano, permitiu sabermos que não por gosto professores e estudantes são o alvo direto de uma política bem explícita no denominado plano Bush e que na atualidade ganha total vigência.

Para conseguir seus propósitos propiciam a entrega de bolsas destinadas a formar também líderes intelectuais, entre outras causas porque Washington considera que a contrarrevolução tradicional carece de força, prestígio e impacto na sociedade cubana.


Essa chamada "oposição" possui fortes vínculos financeiros e políticos com o governo estadunidense e com o setor mais reacionário dos cubano-americanos radicados na cidade de Miami, destaca o capítulo "Fabricando um líder".

Capote argumentou também que durante o tempo que passou como um suposto homem da CIA em Havana quiseram impor a imagem de que na Ilha se respirava um ambiente de instabilidade, que podia se formar um "alvoroço, que é a palavra que utilizam", apontou.

Outra das táctica empregadas na atualidade consiste em tentar reproduzir em Cuba fenômenos que são próprios da realidade social norte-americana, explicou o agente Daniel.

Para conseguir o fim tão que lhe é tão distante, o governo estadunidense não só trabalha no plano das ideias e da subversão, como também focam sua missão no uso da espionagem com uma sólida plataforma tecnológica, acrescenta o audiovisual.

Reconheceu Capote que "no geral os contatos que vinham a Cuba não se repetiam" e estes lhe traziam "os fornecimentos necessários para meu trabalho: dinheiro, câmeras fotográficas, laptop, memórias, todo tipo de equipamentos para transmitir informação".

Nenhum comentário:

Postar um comentário