sábado, 23 de julho de 2011

O fim da hegemonia mercenária na internet cubana.

por Robson Luiz Ceron - Blog Solidários.


Assistindo ao vídeo do CubaInformatión (ver abaixo) fizemos a seguinte reflexão:

Na medida em que Cuba consiga melhorar seu acesso à internet, através da conexão internacional propiciada pelo cabo submarino desde a Venezuela, e aumente o acesso interno (mais computadores, em mais domicílios, melhor velocidade, etc.), a verdadeira realidade do pensamento cubano ficará mais evidente neste espaço virtual.

Até pouco tempo, foram os mercenários que, por ter acesso a computadores e a internet rápida (ver aqui como), estiveram à frente desse processo. Embora tratasse-se de ínfimos grupelhos, sua relevância foi superdimensionada. Os inimigos de Cuba utilizaram isto de diversas formas: criando falsas heroínas, disseminando a mentira de que haveria censura ao acesso, destorcendo fatos, etc.


Porém, percebe-se nitidamente que este quadro está se alterando: Aumenta o número de blogs de cubanos revolucionários; a participação desses, nas redes sociais, se acentua; surgem diversos mecanismos de uso da internet em Cuba; etc.

Claro que não se espera que a mídia burguesa revele isso. Contudo, na medida em que mais cubanos dominarem a internet, as teses imperialistas se enfraquecerão e o verdadeiro pensamento hegemônico cubano, isto é, o revolucionário, se revelará.

Ainda, mais uma mentira se apresenta (nenhuma novidade em se tratando de burguesia): a mentira de que eles - imperialistas - defendem o maior acesso a internet aos cubanos. Mentira deslavada, sabem que o acesso só fará revelar o caráter cubano antiimperialista e socialista, possibilitando, inclusive, que a realidade de Cuba se apresente ao mundo de forma não distorcida.

Também na internet, a verdade dos mercenários se esclarece: grupelhos, sem qualquer inserção social, pagos principalmente pelos Estados Unidos e repudiados pelo povo cubano. Sua hegemonia virtual está chegando ao fim.


Um comentário:

  1. Belo trabalho, camarada!
    Este texto era mesmo necessário!

    ResponderExcluir