terça-feira, 18 de setembro de 2012

Dois, um zero... Cubano rumo ao cosmos!


Fonte: Cubadebate / Prensa Latina

Cuba recorda neste 18 setembro um dos eventos mais famosos do período revolucionário: a viagem espacial feita há 32 anos por Arnaldo Tamayo, o primeiro cosmonauta que teve toda a América Latina.


Num dia como hoje, mas em 1980, o atual General-de-Brigada das Forças Armadas Revolucionárias partiu ao cosmos como parte de uma tripulação conjunta cubano-soviética.


O foguete que colocou em órbita a nave Soyuz 38 começou sua jornada a partir do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão, e completou o vôo rumo a estação espacial Salyut 6.

Nesse ponto, Tamayo e seu colega de missão, Yuri V. Romanenko, reuniram-se com a tripulação residente na estação, constituída pelos cosmonautas Leonid Popov e Valery Ryumin.


Grande parte do programa de pesquisas da missão foi elaborado pela Academia de Ciências de Cuba e compreendia tarefas científicas tais como o cultivo dos primeiros monocristais orgânicos em ambiente de microgravidade, usando açúcar cubano.


Também foram realizados experimentos médicos e biológicos, alguns deles sobre as causas da síndrome de adaptação ao espaço, além da exploração da ilha do Caribe da plataforma continental a partir do espaço em busca de minerais e de campos de petróleo potenciais.


Concluído o programa de pesquisa, os cosmonautas seguiram para o módulo de descida de materiais e experimentos e retornaram à Terra em 26 de setembro de 1980.


Em seu retorno, Tamayo foi premiado com a primeira medalha de honra de Herói da República de Cuba e em Moscou recebeu a Ordem de Lênin e a Estrela de Ouro de Herói da União Soviética, condecoração concedida pelo governo soviético.


Em uma ocasião, o primeiro latino-americano cosmonauta disse à Prensa Latina que aqueles que tiveram o privilégio de ver a Terra a partir do espaço estão conscientes da necessidade de seu cuidado.


Ele disse que a Terra é uma nave espacial que leva a bordo milhões de habitantes, e se não a protegermos iremos desaparecer como espécie.


Ele ressaltou que o voo espacial a bordo do Sayuz 38 com o colega Romanenko - patrocinado pelo programa Interkosmos - não era um feito pessoal, mas sim um triunfo da Maior das Antilhas e da América Latina.


Em 18 de setembro de 1980 Cuba tornou-se o nono país a enviar uma pessoa ao espaço a partir do Cosmódromo de Baikonur, na ex-União Soviética.

Nenhum comentário:

Postar um comentário