segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

"Cuba sem Bloqueio" ilumina funcionamento da sociedade e das instituições cubanas


Por Alexandre Haubrich na Revista Viés

Um dos mais importantes livros escritos por brasileiros sobre a realidade da Revolução Cubana não pode ser encontrado na maioria das livrarias. O jornalista Hideyo Saito e seu Cuba sem Bloqueio estão, vejam só, sofrendo em sua própria pele e em suas próprias páginas a violência e a truculência do bloqueio midiático sofrido por Cuba desde o triunfo dos revolucionários em 1959. De acordo com Saito, muitas redes de livrarias recusaram comercializar o livro por conta da pouca exposição que este teria na mídia.

Cuba sem Bloqueio parte do bloqueio político-econômico estabelecido pelo governo dos Estados Unidos desde 1962, para construir-se como furo e furadeira da barreira midiática que é consequência e suporte desse bloqueio. Tendo morado e trabalhado como jornalista em Cuba por dois anos e visitado a ilha em outras oportunidades, Saito aliou-se ao publicitário Antonio Gabriel Haddad e, unindo a experiência pessoal com uma vasta pesquisa bibliográfica, construiu um livro amplo, completo e aprofundado que retrata Cuba como em uma grande fotografia em 360 graus.

A pesquisa de Saito e Haddad perpassa livros publicados no Brasil, em Cuba, no México, nos Estados Unidos, no Chile e na Argentina, além de diversos estudos de organizações internacionais, incluindo órgãos especializados da ONU e até o Banco Mundial. Sem amarras ou pré-conceitos, há, sim, uma pré-disposição: mostrar a realidade por trás do muro midiático que quer evitar o uso de Cuba como exemplo de que pode, sim, ser construída uma sociedade diferente. Uma sociedade igualmente complexa, que também possui suas contradições, suas dificuldades, mas, como diz o título de um capítulo de Cuba sem Bloqueio, “onde vidas humanas valem mais que propriedades”.

Sem barreiras, sem fugir dos temas mais delicados, sem poupar críticas, por exemplo, às recentes mudanças econômicas e aos problemas sociais decorrentes, o claro e coerente texto Saito ajusta o foco, uma a uma, sobre as diversas temáticas que, juntas, formam um retrato da sociedade cubana. Em cada um dos 12 capítulos o jornalista debruça-se sobre um aspecto dessa realidade apresentando números, declarações e análises críticas que inserem esses dados em uma totalidade complexa. Dessa forma, o livro trabalha os seguintes pontos: Começa a era pós-Fidel; Política oficial de hostilidade a Cuba; Dilemas e desafios da economia; Estado e poder popular; A solidariedade como política externa; Educação, questão de honra para a sociedade cubana; Saúde: como um país pobre pode tanto; Onde vidas humanas valem mais que propriedades; Ser culto para ser livre; O esporte na vida das multidões; Uma corrente de oração por Fidel; e Um país ameaçado de exclusão digital.

Em 423 páginas, Cuba sem Bloqueio coloca o leitor para enxergar, ao mesmo tempo de fora e de dentro, as instituições cubanas que, junto com o povo de Cuba e como parte dele, criou, construiu, sustenta e sustentará a Revolução e a esperança que dela nasce e com ela cresce.

O livro Cuba sem Bloqueio, de Hideyo Saito e Antonio Gabriel Haddad, editado pela Radical Livros, pode ser comprado através do site da editora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário