sábado, 22 de dezembro de 2012

Cuba diz que Estados Unidos reforçaram bloqueio econômico

As autoridades cubanas reforçaram nesta sexta-feira (21) que o bloqueio econômico dos Estados Unidos contra a ilha e o caráter extraterritorial de tal política, rechaçada pela maioria da comunidade internacional na Organização das Nações Unidas (ONU).

Uma declaração do Ministério das Relações Exteriores publicadas hoje pelo jornal Granma recorda que em 11 de dezembro o Gabinete de Controle de Ativos Estrangeiros (OFAC, na sigla em espanhol) do Departamento do Tesouro anunciou a imposição de uma multa de 375 milhões de dólares – cerca de 750 milhões de reais – contra as corporações Hong Kong e Shanghai do HSBC Holdings.

Cuba alega que o motivo da sanção ao HSBC é a suposta violação das sanções unilaterais dos Estados Unidos contra vários países, incluindo Cuba.

Em 12 de dezembro, a OFAC, que é encarregada de executar o bloqueio econômico, comercial e financeiro a Cuba, fez outro anúncio de uma aplicação de multa de 8.571.634 dólares ao banco japonês Tokio-Mitsubishi UFJ, também pela mesma razão de acordo com o jornal Prensa Latina.

A nota oficial do governo cubano adverte que “a aplicação de tais penalidades injustas e ilegais demonstram a política de perseguição dos Estados Unidos às transações financeiras e comerciais contra Cuba e àqueles que sustentam uma relação legítima contra a ilha, ao amparo do Direito Internacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário