quarta-feira, 1 de maio de 2013

FAO reconhece capacidade cubana para produzir alimentos

Fonte: VERMELHO

O representante em Cuba da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO), Theodor Friedrich, afirmou nesta terça-feira (30) que Cuba dispõe da capacidade necessária para aumentar sua produção de alimentos.

"Os sólidos conhecimentos no setor agropecuário existentes aqui são excelentes e muito altos, e inclusive hoje são utilizados na cooperação sul-sul e no auxílio a outras nações de menor desenvolvimento na região", disse em Havana o diplomata.

Friedrich formulou suas declarações na 13ª Jornada Científica do Instituto de Investigações Fundamentais na Agricultura Tropical "Alejandro de Humboldt" (Inifat), que foi realizada na sede da instituição, na capital cubana.

O diplomata assinalou que a agricultura rural enfrenta desafios por vencer todavia, principalmente, no melhor uso e aproveitamento da terra.

O representante da ONU elogiou as conquistas do programa da agricultura urbana e suburbana, que mostra um impacto direto na mesa dos cubanos e uma melhoria na nutrição da população urbana.

"As estatísticas confirmam que há uma recuperação no setor, especialmente na produção de hortaliças, embora ainda existam possibilidades para incrementar a produção de outros alimentos, que hoje são importados", assegurou.

Diferentemente de outras nações, aqui há a capacidade profissional, a terra suficiente e o solo necessário que permite aumentar o cultivo, a criação de gado e inclusive se dispõe também da capacidade suficiente para apoiar outras nações da região.

Friedrich reiterou sua vontade como representante da FAO, de colaborar com Cuba em tudo que seja necessário para contribuir para uma produção agrícola maior e para a substituição dos produtos importados por nacionais.

"Com a capacidade e os conhecimentos que os cubanos possuem, tenho a certeza e a segurança de que avançarão em mais esta importante e transcendental tarefa, a qual, finalmente, se poderá reverter em um maior volume de alimentos para a população", destacou o diplomata.

Com Prensa Latina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário