quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Cuba recorda o gênio de sua música popular.


  
Cienfuegos, Cuba, 24 ago (Prensa Latina) Cuba recorda hoje a Benny Morei, o mais notável de seus cantores de música popular, ao completar-se 92 anos de seu aniversário na vila de Santa Isabel das Lajas, município do centro-sul da província de Cienfuegos.

Como todos os anos nesta data o povo de seu berço natal, que ele imortalizara ao chamar meu rincão querido em uma de suas composições antológicas, peregrinará da praça principal da localidade até a tumba do artista no cemitério municipal, declarada Monumento Nacional em novembro de 2009.


Procedente dos estratos mais humildes da população cubana, neto de escravos africanos, Bartolomé Maximiliano Morei (seu verdadeiro nome) nutriu-se da cultura de suas raízes étnicas e das cantorias camponesas de raiz espanhola para a base de muito talento natural ascender à cúpula de música popular na maior das Antilhas.


Morreu aos 43 anos de idade, em 19 de fevereiro de 1963, mas deixou uma obra monumental que o transcende no tempo.

A cidade de Cienfuegos, capital provincial a 250 quilômetros ao sudeste de Havana, e Santa Isabel das Lajas, dedicam-lhe com regularidade os festivais internacionais de música popular que levam o nome do bem chamado Bárbaro do Ritmo ou Sonero Maior.

No passeio principal desta cidade levanta-se desde fins de 2004 uma estátua pedestre do genial artista, fundida em bronze e ao tamanho natural pelo escultor José Villa Soberón, autor além das esculturas de John Lennon, Ernest Hemingway e a Mãe Teresa de Calcutá, entre outras atrações culturais e turísticas da capital cubana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário