sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Porto de Mariel

Fonte: EFE através do solidário Max Altman

Com a conclusão do porto de Mariel, Cuba será o centro logístico de mercadorias da América Central e do Caribe

Havana -  Cuba aspira converter-se com a conclusão do porto de Mariel no centro regional de logística de mercadorias. São realizadas atualmente obras de ampliação e desenvolvimento com financiamento majoritário do Brasil,  segundo informaram meios oficiais.

O terminal de ‘containers’ que se constrói em Mariel, situado a 45 quilômetros a oeste de Havana, “será uma importante rota de entrada e saída do comércio cubano” e “o coração” da Zona Especial de Desenvolvimento dessa instalação portuária, ressaltou uma reportagem emitida pela televisão estatal.

Os detalhes da obra, que até agora não se conheciam, foram revelados depois que os mandatários de Cuba, Raúl Castro, e do Brasil, Dilma Rousseff, percorreram na terça-feira, 31 de janeiro, as obras de Mariel, cuja inversão ronda 1 bilhão de dólares, dos quais 640 milhões correspondem a um crédito aportado pelo gigante sul-americano.


O projeto Mariel é seguramente a mais importante inversão que se executa atualmente em Cuba com a participação do Brasil.

Os trabalhos construtivos estão a cargo de especialistas e técnicos da Associação Econômica Internacional Mariel Quality -formada por Cuba- e a companhia de obras de infra-estrutura pertencente à empresa brasileira Odebrecht.

Uma vez remodelado, o porto de águas profundas de Mariel permitirá “uma logística e uma organização eficiente” do comércio, das exportações e importações, além de se valer da posição geográfica de Cuba como a “chave do Golfo do México”, para se converter no maior centro regional de mercadorias, indicou a reportagem.
Na Zona Especial de Desenvolvimento de Mariel (ZEDM), como tem sido chamada a instalação, se constrói um cais que medirá 2 mil metros, em que poderão atracar navios de grande calado, e um terminal com capacidade para receber 3 milhões de ‘containers’ por ano.

Numa primeira etapa está em construção os primeiros 700 metros de cais e uma parte da área a ser ocupada pelo pátio de ‘containers’.

Nestas obras estão contratados 2 mil trabalhadores das localidades vizinhas, entre os quais figuram engenheiros, operadores e soldadores, entre outras especialidades e técnicas.

Em 2013 o terminal deve iniciar as operações de maneira parcial, enquanto continua sua construção até a conclusão. Está previsto que num futuro próximo possa receber navios com mercadorias de transbordo para outros portos da região do Caribe, América Central e América do Norte (México).

O projeto da instalação inclui armazéns, câmaras frias, fornecimento de combustível, distribuição de alimentos e outros serviços.

Além do mais, contará com uma rede ferroviária e rodoviária conectadas com as autopistas e vias existentes com o fim de garantir o movimento das mercadorias geradas pelo porto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mais de 500 fotos de Cuba