sábado, 1 de agosto de 2009

ZELAYA: FORMA-SE EXÉRCITO POPULAR PARA A RESISTÊNCIA E PARA DERROTAR O GOLPE .


Ocotal, 30 jul. 2009, Tribuna Popular - TP .- O presidente de Honduras, José Manuel Zelaya, iniciou o processo de preparação e organização das milícias populares para a formação do Exército do Povo, que irá acompanhá-lo no retorno ao seu país.

A medida foi anunciada numa coletiva de imprensa ao referir-se que para dar este passo fundamental conta com o aval de seu homólogo nicaraguense, Daniel Ortega, que ofereceu o território fronteiriço com Honduras para que Zelaya concretize seu regresso.

Zelaya assegurou "que não tem a menor dúvida de que a qualquer momento os jovens oficiais militares afetados pelo golpe prenderam Romeo Vasquez Velasquez".

Zelaya se refere ao chefe do Estado Maior do Exército hondurenho, que o expulso do poder e do país no dia 28 de junho, e que mantêm as forças armadas hondurenhas contra o povo.

O presidente disse que tinha informação de que muitos dos oficiais e capitães das Forças Armadas de Honduras o apóiam.

Cabe assinalar que vários oficiais e membros do exército foram a favor de uma saída efetiva da grave crise institucional ocorrida por conta da ação dos golpistas. Muitos destes chamam Presidente a Zelaya e afirmam que não dispararam contra o povo.

O presidente Manuel Zelaya anunciou que entrará em seu país nos próximos dias, acompanhado de um "exército popular", não descartando que este processo pode ocorrer através de um acordo com os golpistas.

"Nos próximos dias, quero voltar para Tegucigalpa, é certo, com um acordo político. Mas, eu quero voltar porque o povo venceu a batalha", disse Zelaya perante centenas de apoiadores reunidos na cidade fronteiriça de Ocotal, 226 km ao norte de Manágua.

O presidente permanece inflexível quanto ao retorno, e disse que conta com o apoio da comunidade internacional, a quem apelou para aumentar a pressão contra os golpistas que estão no poder a 32 dias.

"Não há data determinada (para o regresso). Está-se fazendo a pressão necessária para alcançar um acordo” com os golpistas, disse ele. "Nós estamos realmente falando em nível internacional e de Honduras", acrescentou.

Seu Vice Presidente, Aristides Mejia, nessa quarta-feira, pediu à Cúpula de Tuxtla – que reúne os presidentes da América Central, Colômbia, México e Costa Rica – "os países amigos que são fortes na América Latina como México, Argentina, Colômbia, que redobrem os esforços para" reverter o golpe em Honduras.

Zelaya instalou um centro de operações em Ocotal, cidade fronteiriça, que é governado Frente Sandinista (FSLN, de esquerda), que tem fornecido abrigo e alimento para os seus seguidores, que vieram apoiar a sua luta.

Fonte original: Tribuna Popular TP
Original encontra-se em: TribunaPopularSolidaria_ComunistasMiranda (PPS_CM).
Tradução: Robson Ceron

Nenhum comentário:

Postar um comentário

516 FOTOS DE CUBA